Real Digital: o que falta para a criação da moeda?

Leitura: 3 min Ainda em debate entre as entidades financeiras, o primeiro dinheiro digital 100% brasileiro provavelmente usará tecnologias descentralizadas, avisa o Banco Central.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Recentemente falamos sobre a nova moeda digital que será 100% brasileira. O Banco Central (BC) divulgou as orientações para o lançamento da novidade, que tende a favorecer a participação do Brasil no cenário econômico mundial, aspecto que aumentará a eficiência de transações transfronteiriças. “A gente tem bastante a ganhar na parte de pagamentos internacionais”, explicou o coordenador do projeto do Real Digital no Banco Central, Fábio Araújo, durante audiência recente no Senado Federal.

O Real Digital irá seguir o conceito de “moeda digital emitida por banco central” (no inglês Central Bank Digital Currency ou na sigla CBDC), e, ainda de acordo com Araújo, não existe uma decisão sobre o uso de blockchain. Outro debate gira em torno do tipo de estrutura: o BC não tem certeza se uma estrutura centralizada como a existente no Pix será capaz de fornecer todas as funcionalidades que são esperadas para a moeda.

Durante a audiência com o Senado, o BC revelou que o Real Digital deverá ser lançado já no próximo ano, ainda em um ambiente de testes e, que nos anos seguintes, possivelmente em 2024, deverá estar disponível para todos os brasileiros. 

“Teremos testes iniciais em 2022. Dada a complexidade, esse não é um problema que vai ser resolvido nos próximos meses. O horizonte de dois ou três anos parece um prazo mais adequado para que as condições para a eventual emissão de um Real Digital estejam maduras”, disse Fábio Araújo.

A fase de teste será um passo essencial para a tomada de decisões, principalmente para definir o uso de tecnologia descentralizada ou não. “Essa tecnologia tem dominado as discussões internacionalmente e muito provavelmente, em algum ponto no futuro, vamos ter de utilizar algo semelhante, dados os ganhos de eficiência que parecem advir dessa tecnologia. Mas, primeiro é preciso aferir os ganhos de eficiência”, explicou o coordenador do projeto.

O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT), senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), disse em publicação no site Cointelegraph, especializado em tecnologia blockchain, que é preciso que o BC avalie as vantagens e desvantagens do novo serviço. Para o parlamentar, a moeda eletrônica poderia aumentar a eficiência do sistema monetário nacional.

“É indispensável examinar quais vantagens e eventuais desvantagens da criação da moeda digital. Entre os benefícios, o Real Digital seria uma moeda de troca praticamente sem custo, o que ajudaria a aumentar a eficiência do sistema de pagamentos e facilitaria a liquidação mais rápida e segura das transações financeiras internacionais”, explicou Cunha.

Os micros e pequenos negócios também poderiam se beneficiar com a chegada da moeda, já que ocorreria a diminuição nos custos de transações, aumentando a sua rentabilidade. Outro aspecto benéfico seria a segurança, já que a moeda digital é rastreavel, o que pode auxiliar no combate aos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção, sonegação fiscal, trafico de drogas e terrorismo.

O Banco Central informou recentemente que tem estudado ferramentas para que o Real Digital possa funcionar de maneira offline. De acordo com Fábio Araújo, a moeda deverá atuar como uma espécie de token nativo de um grande ecossistema de informação e tecnologia financeira que foi inaugurado com o Pix, terá seu crescimento com o Open Banking e verá sua maturidade com o CBDC.

Ainda em processo de criação e aperfeiçoamento, a moeda digital 100% brasileira promete trazer novos rumos à maneira como a população lida com o dinheiro. O Pix caiu na graça da população e proporcionou aos usuários novos costumes. Com a criação de um dinheiro digital não deve ser muito diferente. Caso siga a mesma ideia, ele poderá fazer com que o uso das cédulas diminua ainda mais, assim como os demais meios de pagamentos como o Ted e o Doc.

Ainda neste ano, novidades devem surgir sobre o Real Digital, e se você quiser ficar por dentro tudo que rola nos segmentos financeiro e de tecnologia, basta acompanhar as postagens em nosso blog e nos seguir nas redes sociais. Vem com a Phi!


Fontes:
https://fintechsbrasil.com.br/2021/09/01/real-digital-provavelmente-sera-preciso-usar-tecnologia-descentralizada-diz-banco-central-blocknews/
https://cointelegraph.com.br/news/brazilian-central-bank-reveals-to-the-senate-that-real-digital-will-have-tests-in-2022-and-official-launch-in-2024

[ebook] A Revolução do Banking chegou!

7 inovações do banking que vão impulsionar sua empresa

Nossas Redes Sociais

Siga-nos para mais conteúdos

Faça parte da nossa Newsletter!

Posts Relacionados

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Esteja sempre por dentro dos conteúdos mais importantes do mundo das fintechs e do mercado financeiro!​