Open Finance: o que é e qual seu papel no mercado financeiro

Leitura: 4 min Movimento que promete mudar os processos do ecossistema bancário vai além do Open Banking.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

No dia 24 de maio deste ano, o Banco Central anunciou que o atual modelo de negócio do Open Banking deve ser substituído pelo Open Finance. Em alguns locais do mundo, como União Europeia, Estados Unidos, México, Japão, Austrália, Coreia do Sul, entre outros mercados de grande importância, esse sistema já encontra-se em diferentes estágios de revisão, desenvolvimento de políticas ou implementação.

Muito se fala a respeito do Open Finance, mas pouco se sabe sobre o que ele é e para que serve. Hoje, vamos explicar um pouco mais sobre esse sistema que ainda gera algumas dúvidas. Vamos lá? 


Open Banking x Open Finance: qual a diferença?

Em tradução livre, Open Finance significa sistema financeiro aberto, e ele pode ser explicado da seguinte maneira: é uma espécie de ampliação do Open Banking na qual poderão ser incluídas mais instituições financeiras, e não somente os bancos e as fintechs. Assim, poderão ser acrescentadas ao sistema empresas como corretoras, companhias de câmbio e fundos de previdência, o que pode acabar promovendo uma maior competição no mercado. De modo simples, podemos dizer que: 

  • O Open Banking possibilita que o cliente decida se suas informações registradas em uma organização devem ser compartilhadas com uma outra instituição, sem que precise começar do zero uma relação com a nova empresa. 

  • O Open Finance possui esse mesmo sistema, mas abrange um leque maior de entidades financeiras participantes. Em caso de autorização por parte do cliente, essas empresas também poderão ter acesso aos seus dados, assim como os bancos e as fintechs.



Os “Opens” do Open Finance

O Open Finance é formado por 4 “Opens”, sendo eles: Open Products, Open Processes, Open Innovation e Open Assets. Confira o que são cada um deles e suas funções.

  • Open Products: permitem que bancos aumentem e complementem suas ofertas atuais, realizando a inclusão de produtos de parceiros, sejam eles financeiros ou não, para fornecer escolha e personalização de acordo com cada cliente.

  • Open Processes: melhorias do sistema bancário, permitindo o compartilhamento de dados e recursos entre um banco e empresas digitais.

  • Open Innovation: é um termo usado com o intuito de criar um entendimento a partir de questões digitais relacionadas à inovação e que vai contra o sigilo e a mentalidade de isolamento dos laboratórios de pesquisa corporativos tradicionais. Isso significa que as instituições financeiras podem criar soluções de inovação de forma colaborativa com startups, oferecendo alicerce em termos de dados operacionais, infraestrutura, lançamentos etc.

  • Open Assets: a forma como os bancos podem criar e compartilhar ativos digitais definirá o futuro dos bancos, pois permitirá que eles se integrem a temas emergentes sem correr os riscos indevidos. Banco como serviço, Pagamentos como serviço, Conformidade como serviço são algumas das rotas que estão permitindo aos bancos desbloquearem seus ativos para a criação de valor colaborativo.


Vantagens do Open Finance

Quanto mais aberto e livre for o sistema financeiro, mais vantagens podem surgir para os clientes. Na verdade, não apenas para os clientes, mas também para as instituições. Assim como já foi falado com relação ao Open Banking, o Open Finance parte da premissa de que os dados do cliente pertencem ao próprio cliente, e não à instituição financeira.

Com a abertura do sistema financeiro e havendo permissão concedida pelos clientes do compartilhamento de seus dados, as organizações com as quais o usuário deseja manter relação podem ter acesso a dados como histórico de bom pagador, gerando assim a oferta de serviços que combinam mais com seu perfil.

Além disso, quando você sabe pelo que está pagando, fica mais fácil saber se o serviço ou produto vale a pena. Com o Open Finance haverá maior transparência com relação aos produtos e serviços, permitindo aos usuários realizarem a comparação de preços e características de produtos semelhantes.

O Open Finance também possibilita evoluções para as empresas, como o caso das fintechs. Ocorrendo a troca aberta dos dados financeiros, será possível oferecer um processo de inscrição individual e pré-preenchido para cada cliente em potencial, fornecendo uma melhor experiência ao cliente.

Se o Open Banking já era visto como uma revolução ao sistema financeiro brasileiro, com a expansão para o Open Finance novas possibilidades surgem. Mantenha seu negócio sempre em evolução e não perca as oportunidades geradas pelas mudanças. Fique ligado nas postagens em nosso blog e nos acompanhe nas redes sociais para ficar por dentro de todas as novidades do mercado financeiro e de tecnologia. Vem com a Phi!


Fontes
https://fintechs.com.br/open-finance/
https://blog.nubank.com.br/open-banking-ou-open-finance-o-que-voce-precisa-saber/
https://noomis.febraban.org.br/temas/open-banking/voce-sabe-o-que-e-open-finance
https://www.modalmais.com.br/blog/open-finance

[ebook] A Revolução do Banking chegou!

7 inovações do banking que vão impulsionar sua empresa

Nossas Redes Sociais

Siga-nos para mais conteúdos

Faça parte da nossa Newsletter!

Posts Relacionados

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Esteja sempre por dentro dos conteúdos mais importantes do mundo das fintechs e do mercado financeiro!​