Pix é regulamentado e passa a ser utilizado como iniciador de pagamento

Leitura: 3 min Com novidade, não será mais necessário entrar no app da instituição financeira para fazer transações Pix..

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Hoje vamos falar novamente sobre ele, o Pix! Se prepare que ainda virão muitas novidades sobre esse queridinho dos brasileiros. A mais recente delas foi anunciada no dia 22 de julho, quando o Banco Central (BC) regulamentou a função de iniciador de pagamento do Pix, ou seja, será possível realizar transações em e-commerce sem precisar sair do site ou app em que se está comprando. 

Em nota, a entidade informou que a implementação acontecerá através de fases, permitindo que as instituições tenham tempo suficiente para efetuar os ajustes nos seus sistemas e para realizar os testes previstos na etapa de homologação no BC. As fases irão ocorrer da seguinte maneira:

  • 30/08/21: inserção manual de chave Pix no app ou site para realizar o pagamento;
  • 30/09/21: diretamente pela instituição que prestar o serviço de iniciação;
  • 01/11/21: pagamento realizado a partir de QR Code estático e dinâmico.


Em 30 de agosto acontece a realização de transações por meio do serviço de iniciação a partir da inserção manual, pelo cliente, dos dados de identificação do recebedor (instituição, agência, conta, tipo da conta, CPF/CNPJ) ou por meio da chave Pix.

Seguindo o cronograma, no dia 30 de setembro começarão a ser aceitas as transações realizadas diretamente pela instituição que presta o serviço de iniciação. Em 1º de novembro serão liberadas as operações através do serviço de iniciação utilizando a leitura de QR Code, seja ele estático ou dinâmico. 

Através de nota, o Banco Central confirmou que a partir da fase que ocorre em 1º de novembro, também será possível efetuar um agendamento a partir do serviço de iniciação. “O serviço de iniciação de transação de pagamento no Pix busca facilitar ainda mais a realização de pagamentos e transferências com o Pix, aumentar a competição, fortalecer o uso do Pix nos casos que envolvam empresas, especialmente no comércio eletrônico, e fomentar a inovação”, explica a entidade.

O serviço de iniciação no Pix também poderá ser oferecido pelas entidades financeiras ou de pagamentos que estejam autorizadas pelo BC a participarem do Pix na modalidade provedor de conta transacional. Mas, para isso, é necessário que elas estejam certificadas no âmbito do Open Banking. 


O que é um iniciador de pagamento?

O Iniciador de Transação de Pagamentos ou Pisp, na sigla em inglês, e ITP em portugês, são modelos de instituições de pagamentos que possibilitam serviços de compra e venda e de movimentação de valores sem a possibilidade de conceder empréstimos e financiamentos a seus clientes. No ano passado, o tema já era debatido pelo Banco Central, de maneira que já estava sendo pensado na etapa em que o Open Banking e o Pix começassem a se integrar. 

“Com o iniciador de pagamentos, o Banco Central quer reduzir a fricção e diminuir as etapas de pagamento para apenas três. Assim, será possível que a própria loja e-commerce seja uma iniciadora de pagamentos para completar a transação Pix dentro do app. Isso gera maior retenção para os lojistas e menos chances de o usuário desistir da transação no meio do processo. O lojista também poderá se associar a uma empresa iniciadora de pagamentos”, explica reportagem do site Labsnews.


Como funcionará o processo? 

Quando for feita uma transferência, o usuário poderá utilizar um aplicativo específico fornecido pelo iniciador (aplicativos de gestão financeira, de mensagens, redes sociais, entre outros). A partir do próprio software será possível iniciar um Pix, que automaticamente irá direcionar o usuário para o aplicativo de seu banco onde ele deverá autenticar a operação. Com os iniciadores de pagamento, será possível, por exemplo, comprar algo em uma loja online e pagar com Pix sem precisar sair do app para colar o código QR Code no aplicativo do banco – isso, se a loja obtiver a licença de iniciadora de pagamentos Pix. Isso facilita ainda mais o processo de compra e venda, algo muito importante para evitar o temido “abandono de carrinho”. 

Esta é apenas mais uma fase das modernizações que estão acontecendo no sistema financeiro brasileiro e que envolve o Pix. Novas fases ainda estão por vir nos próximos meses e, em 2022, esteja preparado e atento às novidades. Acompanhe nosso blog e as postagens em nossas redes sociais e saiba tudo que acontece no mercado financeiro e tecnologia. Vem com a Phi!🚀


Fontes
https://bityli.com/n0bgL
https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/juncao-de-open-banking-com-pix-como-vao-funcionar-os-iniciadores-de-pagamentos-em-7-respostas/
https://www.bcb.gov.br/detalhenoticia/17448/nota
https://labsnews.com/pt-br/noticias/tecnologia/banco-central-regulamenta-servico-de-iniciadores-de-pagamento-do-pix/

[ebook] A Revolução do Banking chegou!

7 inovações do banking que vão impulsionar sua empresa

Nossas Redes Sociais

Siga-nos para mais conteúdos

Faça parte da nossa Newsletter!

Posts Relacionados

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Esteja sempre por dentro dos conteúdos mais importantes do mundo das fintechs e do mercado financeiro!​