menu

Novas funcionalidades devem facilitar a circulação do dinheiro vivo trazendo mais comodidade para os usuários e novas possibilidades para estabelecimentos comerciais.

21 de maio de 2021.

Recentemente, o Banco Central (BC) abriu uma consulta pública para que a população, principalmente os usuários do Pix, meio de pagamento instantâneo lançado pela instituição em novembro do ano passado, possam dar sugestões a respeito das novas funcionalidades que devem chegar aos consumidores no próximo semestre. Com previsão para o mês de agosto, o Pix Saque e o Pix Troco são algumas das novidades para quem já utiliza a ferramenta. A consulta pública acontece até o dia 9 de junho e está disponível no site da instituição.

Seguindo a proposta inicial, de acordo com o Banco Central, o Pix Saque e o Pix Troco estarão relacionados com a compra de produtos ou prestação de serviços. De início, a instituição afirma que pretende liberar aos usuários quatro operações gratuitas mensalmente nas novas modalidades. “A partir da quinta transação, as instituições financeiras ou de pagamentos detentoras da conta do sacador poderão cobrar uma tarifa pela transação. Os sacadores não poderão ser cobrados diretamente pelos agentes de saque”, informou a entidade através de uma nota em seu site. O BC também informa que o valor máximo dos saques permitidos por usuário será inicialmente na quantia de R$ 500. “Todas essas regras estão sendo submetidas a contribuições da sociedade [por meio da consulta pública] e serão aperfeiçoadas após o processamento das sugestões recebidas”, destaca o comunicado.

Pix Troco

De acordo com o BC, nos estabelecimentos onde estiver disponível a funcionalidade, os usuários poderão, por exemplo, realizar uma compra no valor de R$ 50 e fazer um Pix no valor de R$ 100 a partir da leitura de um QR Code único disponibilizado pelo estabelecimento e receber R$ 50 em espécie, facilitando a circulação de valores e a vida de quem precisa de dinheiro vivo de forma rápida e prática.

Pix Saque

Será uma forma de transação exclusiva para a retirada de valores em espécie (sem precisar comprar nada no estabelecimento). Além disso, a funcionalidade poderá ser oferecida por comércios ou outras empresas, instituições especializadas no serviço de saque, além das instituições financeiras. Em resumo, os usuários do Pix poderão sacar dinheiro em padarias, estacionamentos ou em caixas eletrônicos, desde que o local ofereça esta opção. Para atuar como agentes de saques, os estabelecimentos precisarão firmar contrato com alguma entidade financeira ou instituição de pagamento participante do Pix. De acordo com matéria no site do Banco Central, os agentes de saque poderão definir as condições de como deve acontecer a prestação de serviço, podendo assim estipular dias e horários que pretendem disponibilizar o serviço; informações sobre os valores (exemplo, apenas múltiplos de R$ 10), entre outros.

Facilidade para quem mais precisa 

Como já comentamos, no Pix Saque os usuários poderão realizar operações no valor máximo de R$ 500, teto estipulado pelo Banco Central por questões de segurança. Porém, a instituição informa que, ocorrendo o seguimento das normas de limites estipulados, os agentes de saques e instituições financeiras poderão definir limites adicionais de acordo com as características do seu negócio.

Segundo o chefe adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro (Decem), Carlos Eduardo Brandt, as novas funcionalidades do Pix trarão benefícios como a eficiência, através da reutilização do dinheiro no varejo e do aproveitamento dessa rede. “A possibilidade de contar com estabelecimentos comerciais para ofertar o serviço de saque tem o potencial de reduzir o custo logístico e operacional com a distribuição de numerário, racionalizando a movimentação de meio circulante, que é bastante custosa para o BC e para a sociedade, além de gerar novas possibilidades e promover maior segurança e agregar valor para os varejistas”, explicou Brandt em publicação no site do Banco Central. Ainda com relação aos benefícios, o chefe adjunto do Decem acredita que as novidades irão agregar conveniência e facilidade aos usuários, já que podem aumentar a capilaridade do serviço de saque. “Especialmente nos municípios do Brasil em que não há rede de caixas eletrônicos ou agências bancárias ou nas cidades que possuem pontos de saque muito concentrado em determinadas regiões, as pessoas terão maior comodidade e muitas possibilidades para a retirada de dinheiro em espécie, sem precisar se deslocar a outro município ou para outra parte da cidade, o que pode ser, inclusive, positivo para a economia local”, explicou o chefe adjunto do Decem.

Essas são apenas algumas das próximas novidades do Pix. O primeiro semestre ainda nem terminou e já temos inúmeros acontecimentos. Acesse nosso blog, nos siga e fique ligado em nossas redes para descobrir tudo que está acontecendo no mercado financeiro. Vem com a Phi!

Fontes:
https://blog.paynow.com.br/2021/05/14/pix-bc-propoe-4-saques-gratuitos-por-mes-e-limite-de-r-500-por-dia-a-partir-do-segundo-semestre/
https://www.bcb.gov.br/detalhenoticia/541/noticia

Phil

Blogger da Phi

Logo Phi

AVENIDA IPIRANGA, N° 6681
PRÉDIO 95A - TECNOPUC
PORTO ALEGRE / RS - CEP 90619-900
(51) 3021-2350 | ola@somosphi.com

4ALL 2018 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Logo Great place to work Logo 4all
Imagem de fundo do rodapé