menu

Com a chegada do Pix ao mercado, a forma com que você realiza pagamentos nunca mais será a mesma.

O cenário do sistema de pagamentos brasileiro deve sofrer grandes alterações nos próximos meses. Tudo graças à chegada do Pix, o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central (BC). A novidade promete trazer maior comodidade aos usuários (além, é claro, de uma boa economia com taxas) e está sendo vista como uma grande revolução nos métodos de pagamentos.

Desde que foi anunciando, o Pix está sendo avaliado por inúmeros especialistas do mercado financeiro e de tecnologia como um sistema que irá modificar a forma de comprar e pagar, tornando o uso do dinheiro, um dos modos mais convencionais para realizar transações, cada dia mais obsoleto. Isso tudo pelo fato de ser visto como um sistema completo. O sócio e fundador da CO.LINK Business Consulting, e autor do livro “Do escambo à inclusão financeira – A evolução dos meios de pagamentos”, Edson Santos, é um dos que acredita que o sistema projetado pelo BC tem grandes chances para alcançar um alto nível de excelência tecnológica e disruptiva, baseada no conceito dos 6D apontado pelo fundador executivo da Singularity University, Peter H. Diamandis. Os 6D são: 

  • 1ºD – Digitalização: o primeiro passo é a digitalização de uma tecnologia que até então era predominantemente física;
  • 2ºD – Decepção – nessa fase, a tecnologia exponencial passa por um período de crescimento dissimulado. O crescimento parece zero, mas o que está ocorrendo é a duplicação de múltiplos pequenos, fazendo com que o crescimento pareça imperceptível;
  • 3ºD – Disrupção – a tecnologia alcança o “joelho” da curva exponencial e o crescimento se acelera;
  • 4ºD – Desmaterialização – uma vez que a tecnologia se torna disruptiva, ela se desmaterializa. Ou seja, você não a tem nas mãos como um objeto físico;
  • 5ºD – Desmonetização – neste ponto, as novas tecnologias desmonetizam os modelos de negócio tradicionais, que resolviam o mesmo problema;
  • 6ºD – Democratização – com menos custos e mais facilidade, o sistema oferecerá o acesso a uma maior parcela da sociedade.

Segundo Edson Santos, o Pix contempla todas as fases do conceito dos 6D’s. Atualmente, as plataformas que utilizamos foram construídas no decorrer das últimas décadas, sendo melhoradas para suprir cada nova necessidade do mercado. No entanto, o Pix nasce em um contexto novo, onde já foi desenvolvido com todas as melhorias possíveis e para atuar em cenário completamente digital. “O coração do PIX é a nova câmara de liquidação que o BC construiu. Ela permitirá um acesso totalmente fácil, que dará condições para o crescimento exponencial de sua utilização”, explica Santos em publicação em seu blog.

Outro especialista que aponta a revolução trazida pelo Pix é o dataminer da Distrito Fintech, Eduardo Fuentes. Ele explica que, devido a este processo disruptivo do novo sistema de pagamentos, a tendência é que haja um consumo decorrente de produtos financeiros de forma invisível. “Será uma continuação das nossas atividades cotidianas. Estaremos conversando em aplicativos de mensageria ou por e-mail e faremos nossas transações financeiras por ali mesmo, sem precisar ir ao internet banking ou a aplicativos exclusivos das instituições financeiras”, aponta Fuentes em entrevista ao blog de Edson Santos.

Uma revolução está acontecendo e você pode fazer parte dela! Nós, da Phi, estamos prontos para transformar a sua empresa e ajudá-la a aproveitar da melhor maneira possível todas as novas tecnologias que o mercado oferece e nos preparamos para lidar com as que ainda não chegaram! Nós temos diversas soluções e um time supercapacitado para atender às suas necessidades! Fale com a gente 😉 

Fontes:

https://www.inovarti.com.br/os-6-ds-das-tecnologias-exponenciais-no-ecommerce/

Phil

Blogger da Phi

Logo Phi

AVENIDA IPIRANGA, N° 6681
PRÉDIO 95A - TECNOPUC
PORTO ALEGRE / RS - CEP 90619-900
(51) 3021-2350 | ola@somosphi.com

4ALL 2018 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Logo Great place to work Logo 4all
Imagem de fundo do rodapé