menu

Pagamentos via links estão se tornando grandes aliados e facilitadores para quem deseja vender ou comprar produtos sem complicações.

Vivemos em uma era em que tudo o que desejamos está na palma das mãos e a poucos cliques de distância. Quando queremos comprar uma roupa nova, vamos até o site da nossa loja favorita, e já podemos escolher a cor, o tamanho e se vamos pagar à vista ou parcelado aquele item que tem mais a ver com o nosso estilo. Mas quantas vezes, prestes a finalizar a compra, a internet resolve cair, ou, então, aparecem longos formulários com diversos campos para serem preenchidos que nos fazem querer desistir da compra? Em situações assim, geralmente atualizamos a página e perdemos os itens já escolhidos ou, então, abdicamos da compra por não ter tempo ou até paciência para preencher todos os dados. Você sabia que tem uma maneira muito mais fácil e rápida de adquirir seus produtos? Já ouviu falar em pagamento por link? Não? Então confira nesse artigo como comprar com muito mais comodidade usando essa nova solução. Se você é lojista, este texto também é para você. Aqui você vai entender como usar os links de pagamento para potencializar suas vendas, quais empresas podem ser parceiras nessa empreitada e também descobrir quais as gigantes do varejo que já estão usando essa tecnologia. Confira! 

O que são os pagamentos por link? 

O pagamento via link é uma nova maneira de vender produtos sem que o cliente precise ir até o estabelecimento ou então ao site da empresa, descartando a necessidade de enfrentar filas ou sofrer com os problemas de conexão das usuais maquininhas de cartão. Através de uma mensagem ou até mesmo pelas redes sociais, o lojista envia um link de pagamento para o cliente e, através deste link, o comprador insere os dados do cartão e em seguida pode encerrar sua compra. Além de aumentar a taxa de conversão, os links são uma forma segura e rápida para quem deseja comprar em poucos instantes.

Como funcionam os pagamentos via link? 

Imagine que você deseja comprar uma camisa para uma noite especial. Enquanto navega pelas redes sociais, acaba encontrando o anúncio de uma loja que lhe interessa. Por meio de um botão disponível na própria imagem, você pode realizar o seu pedido e em instantes receber o link de pagamento no seu WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter ou até mesmo por e-mail.

Na hora vender ou comprar via link, um dos principais cuidados é em relação às informações do pedido, como a quantidade de produtos e os tamanhos das peças, pois esta forma de transação não permite que sejam feitas alterações dos produtos após a emissão do link. Além disso, o pagamento via link possui um tempo limite, ou seja, o link expira após um período de tempo que é estipulado pelo próprio vendedor. Após este prazo, o link ficará indisponível para utilização, não podendo ser reativado. O mesmo acontece depois do pagamento.

O link de pagamento pode ser usado por todo mundo, seja você dono de uma grande empresa, ou se estiver iniciando seu negócio. Para utilizar os links de pagamento não é necessário que você tenha um site, e-commerce ou mesmo uma página em qualquer rede social. Você precisará, sim, ter uma parceria com algum banco ou fintech que ofereça esse tipo de solução.  

Segurança em meio à pandemia 

Atualmente, o que queremos? Realizar nossas compras de forma segura e sem sair de casa, mantendo a saúde em meio à pandemia em que vivemos. E como podemos ter isso? Comprando, por exemplo, de quem vende através de pagamentos via links, sem a necessidade de passar cartões em maquininhas ou pagar boletos. 

Em um momento como este, as empresas precisam buscar formas de atrair mais e mais compradores, e que forma melhor do que possibilitar um meio de compra fácil e seguro? Algumas empresas conhecidas já utilizam esta comodidade para atender seus clientes neste período. Com foco nos pequenos empreendedores, Mercado Pago, PagSeguro e PagBank, por exemplo, estão facilitando a vida de quem deseja vender e de quem quer comprar em poucos instantes. E tudo indica que o uso cada vez maior das tecnologias para realizar pagamentos veio para ficar. “As pessoas acreditam que, após a pandemia, usarão menos dinheiro do que usavam antes e mais formas inovadoras, como os pagamentos por aproximação”, indica pesquisa da Opinion Box. O mesmo levantamento aponta que “A questão da segurança online está na cabeça dos usuários. 68% afirmam que estão mais atentos à fraude durante a pandemia, mas isso não os impede de fazer transações online”. 

Grandes empresas que trabalham com pagamento via link  

Ainda que não sejam 100% usuais, algumas grandes marcas estão adotando o pagamento via link para aumentar suas vendas. A Arezzo, empresa do setor calçadista voltada ao público feminino, passou a utilizar links de pagamentos e obteve um aumento significativo em suas transações, segundo postagem no blog da empresa Cielo, que também oferece serviços financeiros. “Comparando os faturamentos dos anos de 2018 e 2019, a Arezzo já conseguiu aumentar suas vendas em 276%.” Além do salto nas vendas, essa solução é uma importante aliada no combate à inadimplência das grandes redes de varejo, em um momento em que as lojas físicas estão fechadas, prejudicando o contato com os clientes.  

Para quem quer vender

Como as empresas ou pessoas que desejam vender seus produtos fazem para criar um link de pagamento? Pois bem, existem bancos e fintechs que realizam a criação do link de forma gratuita por meio de seus sites ou aplicativos, no entanto, a cada vez que uma transação é processada, é cobrado um valor fixo em centavos, que varia por negociação. Se a empresa ou vendedor deseja receber o valor da compra em poucos dias, será cobrada uma taxa, que também é acordada com a instituição financeira parceira. De modo geral, o prazo para a liquidação da compra é de 30 dias. “É necessário que tenha uma adquirente envolvida, que é quem se comunica com o emissor efetivamente e quem faz a liquidação do dinheiro. Geralmente, o dinheiro vai cair para o vendedor conforme o acordo com a adquirente”, explica Eduardo Bertolin, product owner da Phi. 

Nos sites e aplicativos das empresas parceiras o fornecedor cria sua conta e preenche os dados solicitados, como nome do produto ou do serviço e o valor que deseja cobrar. Após estes passos, basta clicar em gerar link e pronto, é possível compartilhar o link por qualquer forma de contato que o vendedor mantenha com os clientes. De forma simples, podemos “desenhar” a transação da seguinte forma:

A empresa ou pessoa que está vendendo um produto (emissor) ou serviço gera e envia o link.

O comprador paga o link.

Um gateway (produto oferecido por empresas como a Phi) transmite o pagamento. 

A adquirente (empresas como a Cielo, Stone e outras) recebe e transmite para bandeira (Mastercard e Visa, por exemplo).

A bandeira recebe e transmite para o emissor.

O emissor recebe e liquida na conta do recebedor.

Segurança e links de pagamentos 

Tanto fora quanto dentro das redes sociais, as fraudes são muito comuns. É pensando nisso, e na segurança de quem vende e de quem compra, que as transações realizadas via link de pagamento possuem alguns dispositivos de segurança, como os captcha, aqueles testes que diferenciam seres humanos de robôs. “Quando se vai gerar um link, a gente pede para o recebedor colocar uma chave de segurança para que o link de pagamento seja específico para aquela pessoa. Geralmente são usados o CPF ou o email de quem está comprando. A pessoa que vai pagar tem que usar essa chave para abrir o link e preencher um pequeno formulário com alguns dados, como nome, data de nascimento e outros, para que seja possível realizar o que é chamado de validação de originação, para saber se quem irá pagar é uma pessoa real ou alguém usando dados fraudados, por exemplo. Vale destacar que os dados desse cadastro não são salvos, inclusive por uma questão de legislação e proteção à privacidade”, explica Eduardo. Ele também conta que a Phi também tem parcerias com empresas antifraude e que todas as transações são verificadas por esses sistemas. Apesar de os caminhos serem longos, tudo isso acontece muito rápido. Em menos de dois minutos é possível gerar o link, enviá-lo e o comprador efetuar o pagamento. Claro, para tudo isso você também vai precisar de uma ajudinha do seu servidor de internet.  

A Phi e os links de pagamento

“A Phi vem trabalhando na oferta de links de pagamento já há algum tempo, desde 2019. Porém, com a pandemia, o serviço tornou-se uma demanda real, pois os clientes estavam pedindo essa forma de pagamento”, conta Eduardo, que fez parte do time de desenvolvedores responsáveis pela concepção e evolução do produto.  

Quer saber mais sobre essa nova forma de pagamento e como ela pode beneficiar o seu negócio? Entre em contato com a gente! Nós temos o time certo de profissionais e as soluções ideais para ajudar o seu negócio a decolar! 

Fontes: 

https://pagar.me/blog/link-de-pagamento/

https://pagarme.zendesk.com/hc/pt-br/articles/360005039912-O-que-%C3%A9-um-link-de-pagamento

https://faq.pagseguro.uol.com.br/duvida/o-que-e-link-de-pagamento/76#rmcl

https://pagarme.zendesk.com/hc/pt-br/articles/360005039912-O-que-%C3%A9-um-link-de-pagamento#:~:text=O%20link%20de%20pagamento%20%C3%A9,editar%20os%20itens%20do%20pedido.

Phil

Blogger da Phi

Logo Phi

AVENIDA IPIRANGA, N° 6681
PRÉDIO 95A - TECNOPUC
PORTO ALEGRE / RS - CEP 90619-900
(51) 3021-2350 | ola@somosphi.com

4ALL 2018 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Logo Great place to work Logo 4all
Imagem de fundo do rodapé