menu

Oferecer serviços de forma online e personalizada não é característica apenas das fintechs. Cada vez mais instituições financeiras já consolidadas buscam alternativas digitais para manter e conquistar clientes.  

“Não pode haver mais diferença entre um grande banco ou uma fintech. Todas as instituições financeiras precisam ser digitais.” Foi o que disse Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, em um evento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), conforme publicação do site Época Negócios. Ou seja: usar a tecnologia para melhor atender o cliente não deve ser exclusividade de uma startup financeira, mas, sim, uma característica de toda a instituição bancária que pretenda manter e conquistar clientes atualmente.  

A facilidade para guardar e interpretar dados vem revolucionando o modo como vivemos. E esse acervo de informações pode ter inúmeras funções. Sem dúvida, compreender melhor a jornada do cliente, conhecendo seus hábitos e preferências, é uma das formas mais populares que as empresas e instituições bancárias acharam para aproveitar essa verdadeira biblioteca digital, formada pelos rastros que deixamos nas operações online que realizamos todos os dias. Em qualquer negócio, conhecer melhor o cliente é a chave para oferecer serviços cada vez mais segmentados – e assertivos.  

Além de oferecer melhores soluções e conquistar usuários, a digitalização do sistema financeiro apresenta outras possibilidades. A maior competitividade dentro do setor é uma delas. Esse aspecto, inclusive, é incentivado pelo Banco Central, que vem facilitando o acesso de diferentes tipos de instituições financeiras no mercado. Um estudo da consultoria PwC em parceria com a Associação Brasileira de Crédito Digital sobre fintechs de crédito aponta que a escassez de crédito é um obstáculo antigo à expansão da economia no Brasil, mas que a revolução tecnológica e as novas formas de fazer negócios financeiros no mundo digital vêm alterando esse quadro.

Um artigo publicado em 2019 pelo administrador Otavio Dias Freitas ajuda a compreender esse processo de transição para o digital e os impactos na rentabilidade dos investimentos dos bancos tradicionais em tecnologia. “O perfil de investimento em tecnologia por parte dos bancos vem mudando ao longo dos últimos anos. A aquisição e desenvolvimento de softwares superou o de hardwares a partir de 2014, conforme identificado pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN, 2018), sendo responsável por 50% dos R$ 19,5 bilhões investidos em 2017 pelos bancos contra 32% investidos em hardware. Além disso, as instituições financeiras investiram 52% do total das novas tecnologias em Computação Cognitiva e Analytics, buscando melhor interação digital com seus clientes”, explica o texto publicado na Revista Brasileira de Finanças. A publicação aponta, ainda, que “A adoção do atendimento Multicanal pelos bancos, com a implantação do internet banking gera resultados positivos, com maior rentabilidade e menores despesas. Dessa forma, era esperado que o incremento no investimento em tecnologia continuasse gerando resultados positivos”.

O perfil do consumidor brasileiro também ajuda a entender a necessidade de digitalização dos serviços: o Brasil tem dois dispositivos digitais por habitante, incluindo smartphones, computadores, notebooks e tablets. A estimativa é que em 2019 o país tivesse 420 milhões de aparelhos digitais ativos. É o que revelou a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP). “Entre os aparelhos, o uso de smartphone se destaca: segundo o levantamento, há hoje 230 milhões de celulares ativos no País. Já o número de computadores, notebooks e tablets em uso no Brasil é de 180 milhões. Houve um aumento de 10 milhões no número de smartphones ativos em relação a 2018. ”, destaca a publicação da revista Época Negócios.  

Não se trata mais de ser fintech ou ser banco tradicional. Todos terão de ser digitais para atender a um público cada vez mais conectado. Por isso, nós da Phi temos todas as ferramentas para ajudar a sua empresa a ser cada vez mais online 😉

Fontes:

https://epocanegocios-globo-com.cdn.ampproject.org/c/s/epocanegocios.globo.com/amp/Economia/noticia/2019/12/nao-e-questao-de-ser-fintech-ou-ser-banco-todos-terao-de-ser-digitais-diz-presidente-do-bc.html

https://www.pwc.com.br/pt/estudos/setores-atividades/financeiro/2019/pesquisa-credito-digital-19.pdf

http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rbfin/article/view/79189/76858

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2019/04/brasil-tem-230-milhoes-de-smartphones-em-uso.html

Phil

Blogger da Phi

Logo Phi

AVENIDA IPIRANGA, N° 6681
PRÉDIO 95A - TECNOPUC
PORTO ALEGRE / RS - CEP 90619-900
(51) 3021-2350 | ola@somosphi.com

4ALL 2018 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Logo Great place to work Logo 4all
Imagem de fundo do rodapé