menu

O Banco Central (BC) lançou nessa segunda-feira (16 de março de 2020) um padrão único para QR Codes que deve passar a ser usado nas transações em arranjos de pagamento pelos integrantes do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), o ‘BR Code’.

Segundo o comunicado, essas novas regras foram criadas para aumentar a transparência aos usuários finais, desde pagadores a recebedores, melhorando e aumentando o acesso às informações, fazendo com que um ambiente mais competitivo seja criado.

De acordo com a circular 3.989, os instituidores de arranjos de pagamento deverão estar dentro das novas regras em seis meses a partir da publicação da circular, quando o novo padrão passa a se tornar obrigatório. Assim, os QR Codes utilizados atualmente deverão ser adequados ao ‘BR Code’ e, ao iniciar cada pagamento, os prestadores de serviço terão que informar ao usuário qual o arranjo de pagamento está sendo usado.

Segundo o BC, a unificação dos QR Codes será um movimento semelhante ao que aconteceu com os POSs (Point of sale), que são as maquininhas de cartão. Inicialmente era necessário ter uma maquininha para cada arranjo e para cada tipo de pagamento, mas a operação evoluiu para um modelo em que vários arranjos podem ter suas operações efetuadas em apenas um equipamento. Dessa maneira a competição no setor foi estimulada, pois os usuários passavam a poder escolher o arranjo/instrumento de pagamento que melhor atendia aos seus interesses.

Da mesma forma que ocorreu com as maquininhas, “o usuário pagador poderá utilizar o mesmo QR Code para iniciar uma transação em diferentes arranjos – a depender do aplicativo escolhido – de acordo com suas preferências”, explicou o Banco Central. O BC acrescentou ainda que no contexto do Sistema de Pagamentos Brasileiro, a utilização dos QR Codes tem por objetivo simplificar a iniciação de uma transação de pagamento.

Lembrando que o QR Code, que significa Quick Response Code, foi criado em 1994 e possuí esse nome, pois permite uma rápida interpretação. Eles têm uma maior capacidade de armazenamento de dados comparados aos códigos barras como conhecíamos até então. Foram criados, inicialmente, para ajudar a catalogar peças de carros de montadoras japonesas. Contudo, logo os QR Codes se popularizaram, pois não precisam de um scanner para serem lidos como os códigos de barras tradicionais, até mesmo câmeras de tecnologia VGA (Video Graphics Array), de baixa qualidade, são capazes de ler e interpretar a imagem.

Quer saber mais sobre os novos modelos e padrões de pagamentos? Nós podemos te ajudar 😉

Fontes:

https://www.bcb.gov.br/detalhenoticia/17000/nota

https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/exibenormativo?tipo=Circular&numero=3989

https://noomis.febraban.org.br/temas/meios-de-pagamento/bc-cria-padrao-unico-de-qr-code-para-facilitar-pagamentos-no-brasil

Phil

Blogger da Phi

Logo Phi

AVENIDA IPIRANGA, N° 6681
PRÉDIO 95A - TECNOPUC
PORTO ALEGRE / RS - CEP 90619-900
(51) 3021-2350 | ola@somosphi.com

4ALL 2018 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Logo Great place to work Logo 4all
Imagem de fundo do rodapé